Ciência premiada

Elisa Marconi | 16 de novembro de 2017
(Foto: Unesp AQA)equipe-da-unesp-ganha-medalha-de-ouro-em-boston-eua-5opx

Estudantes de Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia e de Farmácia Bioquímica da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Araraquara foram os grandes campeões da Competição Internacional de Máquinas Geneticamente Modificadas (iGEM), que aconteceu entre 9 e 13 de novembro, em Boston, nos Estados Unidos.

O time, chamado Unesp AQA, teve orientação da Profa. Dra. Danielle B. Pedrolli e desbancou mais de 300 competidores, inclusive a equipe do  Massachusetts Institute of Technology. (MIT), que obteve o terceiro lugar.

A competição iGEM é baseada nos princípios da Biologia Sintética, uma combinação de engenharia com biologia molecular para programar sistemas biológicos. Para ganhar, as equipes precisam desenvolver um projeto multidisciplinar e inovador que faça avançar de verdade a biologia sintética. Os estudantes precisam lançar mão de matemática, biologia, modelagem e ainda atender a uma necessidade específica da sociedade.

O time Unesp AQA competiu na categoria Graduação/Terapêuticos, com o projeto INSUBIOTA: treating diabetes with probiotic bacteria, que usa bactérias probióticas geneticamente modificadas para a produção controlada de insulina, diretamente no intestino do portador de diabetes tipo 1. O projeto prevê ainda um mecanismo de controle para as bactérias geneticamente modificadas não se espalharem indiscriminadamente no ambiente.

Embora o feito seja inédito, a equipe da Unesp promete que não vai parar por aí. Quer seguir na investigação e atrair mais estudantes para o grupo.

Este aqui é o link do projeto vencedor: http://2017.igem.org/Team:AQA_Unesp

Estes são os estudantes envolvidos: Victor Nunes de Jesus, Rafael Brull Tuma, Patrick Neves Squizato, Nathan Vinícius Ribeiro, Amanda Gracindo, Mariana Bondi Cesar, Danielle Biscaro Pedrolli, Paulo José Corrêa Freire, Daniel Augusto Cozetto.

E este é o documentário produzido pelos estudantes sobre a rotina das pessoas portadoras de diabetes tipo 1:



Deixe uma resposta