Um poema para as mulheres do Brasil

Vanderlan Bolzani | 08 de março de 2016

Aroeira do sertão, verdinha nunca seca!
Beleza que traz esperança pro Sertão.
Linda e frondosa, é planta forte,
é mulher do sertão!
Vitória Régia, da Amazônia,
feito mulher amada,
encantadora e esplendorosa,
faz o poeta delirar!
De árvores tortuosas e exóticas,
o cerrado feito mulher,
cheio de mistério é enigmática!
e o coração não se revela!
Lá do pantanal, como as ararinhas azuis,
Mulheres de todos os cantos e recantos
voam livres e formosas,
em busca das nuvens num céu de anil!
E se lhes cortam as asas, sonham!
E vão se arrastando, toando o canto triste de uma Jaçanã!

VBolzani 08/03/2016

Vanderlan é cientista brasileira, professora titular do Instituto de Química de Araraquara da Universidade Estadual Paulista (Unesp), diretora da Agência Unesp de Inovação (AUIN) e membro da coordenação do programa BIOTA-FAPESP.



Deixe uma resposta