Cientistas do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) reconstituem rosto de homem que viveu há 2 mil anos no Rio de Janeiro. Ernesto, nome dado ao ancestral carioca, era baixinho, vivia perto da praia e tinha pele morena, com características indígenas.

Dona Claudine será apresentada ao rapaz e, certamente, a coisa vai complicar para o lado dele.