CONVICÇÕES CIENTÍFICAS

Francisco Bicudo | 19 de setembro de 2016

Galileu Galilei errou feio nas observações e medições. É cristalino como as águas dos rios Pinheiros e Tietê que a Terra é – sempre foi – o centro imponente e absoluto do universo, a organizar e definir os movimentos de todos os outros planetas e satélites. O sol é acessório. Basta ter um pouquinho de inteligência e boa vontade para aceitar essa realidade. Gregor Mendel? Lamento desconstruir seu mundinho de inúteis e frágeis evidências, mas a mistureba de ervilhas verdes e amarelas que ele promoveu acabou gerando bolinhas vermelhas (25%), azuis (50%) e roxas (25%). Sério, aceita que dói menos: o monge austríaco era daltônico. Seria interessante e pertinente convocar uma coletiva de imprensa para desfazer essa bobagem e reescrever os livros de Ciências. Vou cuidar já disso. Também não posso deixar passar batido – o homem jamais pisou na Lua. Aquelas imagens mequetrefes foram obviamente gravadas num estúdio mambembe de fundo de quintal dos Estados Unidos. Pense só, logicamente: todos os dias, quando a Lua se anuncia no firmamento (estava belíssima no final de semana), você consegue enxergar a tal bandeira estadunidense que teria sido fincada lá? Nem com luneta, telescópio. Então… Já os dinossauros continuam vivinhos da silva. Quando o tal cometa chocou-se com o planeta há 65 milhões de anos, na Península do Yucatán, no México, abriu uma cratera gigante, que permitiu ao Tiranossauro rex e seus amigos (e inimigos) buscarem abrigo no centro da Terra, onde vivem tranquilamente até hoje. Os terremotos, quando acontecem, são resultado justamente das andanças e dos movimentos mais bruscos dos bichões por lá. Boa sugestão – vou organizar uma comitiva de jornalistas, escolhidos a dedo, para visitar os dinos nos confins do interior do planeta. Será manchete em todos os jornais, emissoras e portais (se a Lava Jato não cavar mais alguma denúncia estonteante nesse mesmo dia). Vida fora da Terra? Claro que existe. Por que, afinal de contas, teríamos o privilégio e monopólio de habitarmos sozinhos esse imenso Universo? Há extras-terrestres que vivem, por exemplo, nas crateras e cavernas de Marte. Bastaria a Nasa ter um pouquinho mais de disposição e de competência para encontrá-los. Em priscas eras, já ajudaram inclusive a erguer as magníficas pirâmides egípcias e as esplendorosas cidades maias, incas e astecas. Costumam ser super parceiros e colaborativos. Ou você imagina mesmo que aqueles templos sofisticadíssimos tenham sido construídos apenas por seres humanos? Tolinho. E pode respirar tranquilo, sem preocupações. O aquecimento global é enorme embuste, uma farsa. As medições e modelagens do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) são totalmente inconsistentes. O planeta esquenta porque tem que esquentar mesmo, assim como um dia a Terra já foi uma bola de neve. Não há qualquer ação de responsabilidade humana nesse processo, apenas natural. Quem insiste na tese pretende apenas escantear e tirar do jogo as empresas de petróleo. Se tenho evidências e provas de todas essas novidades científicas que anunciei e generosamente compartilhei com os leitores? Não. Nenhuma. Nadica de nada. Mas tenho muitas convicções. Ainda não se convenceu? Só um minutinho. Vou lá buscar meus powerpoints. Ficaram lindinhos que só eles.



Deixe uma resposta