Autor: Mariluce Moura

O lugar da comunicação, os golpes da mídia

A primeira página da Folha de S. Paulo do domingo, 3 de abril, trouxe, ao lado esquerdo da manchete (“Governo absorve 72% do crédito do país em 2015”) um editorial em duas colunas, de alto a baixo, interrompido apenas no sexto final da página por um anúncio de carro. Em retórica que ecoa famosos editoriais de 1964, em especial o “Basta!” e o “Fora!” do Correio da Manhã, respectivamente dos dias 31 de março e 1º de abril daquele nefasto ano, a Folha decide que “a presidente Dilma Rousseff (PT) perdeu as condições de governar o país” e informa...

Leia Mais

A busca pela ação comum por entre diagnósticos divergentes para a crise

Denso e divergente no diagnóstico da crise e dos fatores que conduziram a ela, polêmico no receituário a ser seguido doravante para barrar o que todos os oradores identificaram como um golpe em marcha contra as instituições democráticas e, simultaneamente, assegurar as conquistas sociais dos últimos anos, e fervilhante nas ideias a respeito da reestruturação da esquerda para um longo combate pela construção de um país mais justo e inclusivo, sem mais pactos conciliatórios com as forças da direita, o debate da quarta, 6, foi até aqui o mais intenso do ciclo de palestras “Crise e Democracia” promovido pela...

Leia Mais

Debate se espalha na universidade pública como resistência ao autoritarismo

“USP contra o golpe” foi o chamado geral do ato em favor da legalidade democrática que tomou na noite da terça, 29 de março, o grande vão do prédio da História e Geografia da Universidade de São Paulo (USP). Distintas análises sobre o momento se sucederam, talvez nenhuma tão sombria quanto a de Paulo Arantes, um respeitado filósofo, professor titular aposentado da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da universidade (FFLCH-USP). “Nós não sabemos o que vai acontecer e, pior, nem eles sabem! Há 52 anos achávamos que estava acontecendo apenas uma intervenção militar passageira – a ditadura...

Leia Mais

Testes clínicos do soro antiveneno de abelhas vão começar

Veneno de abelhas africanizadas pode ser fatal, especialmente se a pessoa receber muitas picadas ou for alérgico a qualquer das toxinas que ele contém. Daí porque o lançamento mundial de um soro pioneiro e brasileiríssimo contra esse veneno, dentro de aproximadamente um ano, é uma bela notícia. Afinal, pelas estimativas, essas abelhas são responsáveis por 8% dos acidentes com animais peçonhentos, provocam cerca de15 mil casos anuais desses acidentes, que resultam em torno de 140 mortes (Vale a perna ver mais detalhes no vídeo). Tudo depende de o produto passar nos testes clínicos que miram a segurança para o...

Leia Mais

Zika pode ter entrado no Brasil em junho de 2013, na Copa das Confederações

O virus zika anda tão sumido da mídia que aos desavisados poderia parecer que ele já não é uma grande ameaça à saúde pública no país. Nada disso, o zika e as síndromes a ele associadas seguem sendo um problemaço a exigir mesmo os investimentos de R$1,2 bilhão em pesquisa, desenvolvimento tecnológico e ações de educação anunciados pela presidente Dilma Rousseff em 23 de março. Assim, menos mal que um estudo cheio de novidades publicado pela respeitada revista Science no dia 24 o tenha colocado de novo em evidência no jornalismo nacional. O artigo resultante do estudo é assinado...

Leia Mais