jornalismo, ciência, juventude e humor
Buracos negros na vizinhança

Na última semana, conversamos um pouco sobre os buracos negros e as suas singularidades. Agora que já temos todas as informações básicas, eu te pergunto: o que você acha que tem dentro de um buraco negro?

Eu gosto muito de acreditar que podem haver ligações para outro lugar. Não sei se já assistiram The Flash, mas, na série, é possível viajar entre diferentes realidades. Existe a Terra 1, digamos que seja a “original”, com as pessoas “originais”, na Terra 2, teriam os “clones” e assim por diante. Como não há resposta alguma sobre o interior de buracos negros, essa me parece uma ótima teoria.

Mas não é algo da minha cabeça, há, sim, cientistas que acreditam que seja uma passagem para um universo vizinho ou uma realidade paralela. Pensando nisso, o que você acha que o seu eu estaria fazendo na outra realidade?

Uma descoberta recente foi a possibilidade de um buraco negro perto da Terra. Vamos descobrir o quão perto estão.

Os amantes de astronomia provavelmente já viram as constelações de Orion e Touro no céu noturno. Em Touro, está o aglomerado de estrelas Híades, que em noites de ceu limpo é possível ver a olho nu.

A constelação de Touro, com o Aglomerado de Híades formando sua cabeça (imagem: Till Credner – CC BY-SA 3.0 DEED)

As estrelas Híades são um aglomerado estelar aberto que forma a cabeça de Touro em forma de um V. Tratando do universo e sua imensidão, tal aglomerado encontra-se a apenas 150 anos-luz (a luz demora 150 anos para viajar até lá).

Há pesquisadores que acreditam haver um buraco negro nas Híades, porque, como já expliquei, o buraco negro surge após o colapso de uma estrela muito massiva. No centro desse aglomerado, há muitas estrelas massivas com grande probabilidades de se tornarem buracos negros após a sua morte.

Por se tratar de um sistema aberto, com grande desorganização, é mais difícil detectar os movimentos dos buracos negros e estrelas. Mas uma equipe com pesquisadores da Universidade de Pádua, na Itália, Instituto de Ciências do Cosmos, Universidade de Barcelona e Instituto de Estudos Espaciais da Catalunha, na Espanha, dos dados do telescópio Gaia com simulações, defende que podem existir pelo menos dois ou três buracos negros no centro do aglomerado.

Imagino que alguém se perguntou se chegou o momento de sermos engolidos por algum buraco negro. Mas não, isso não vai acontecer. Um buraco negro próximo pode influenciar os planetas e estrelas ao redor, devido à grande força gravitacional, mas não seria mais do que isso.

Podemos ficar muito tranquilos, porque essa descoberta traz a tona o que todo nós sabemos: o universo é muito vasto, com muitos corpos celestes desconhecidos. Ainda bem que, com o avanço da ciência, podemos descobrir pelo menos um pouquinho sobre o universo.

 

Ilustração: @paozinho_celestial

Compartilhe:

Colunistas

Luiza Moura

Luiza Moura

Thaciana de Sousa Santos

Thaciana de Sousa Santos

Vinicius Almeida

Vinicius Almeida

Acompanhe nas redes

ASSINE NOSSO BOLETIM

publicidade