O Programa BIOTA-FAPESP foi lançado em março de 1999. Na verdade BIOTA-FAPESP é o apelido sintético que damos ao Programa FAPESP de Pesquisas em Caracterização, Conservação, Restauração e Uso Sustentável da Biodiversidade.

Ele foi criado com uma missão mega relevante de conhecer, mapear e analisar a biodiversidade do Estado de São Paulo.

E, se estamos falando em biodiversidade, estamos incluindo na aba do BIOTA-FAPESP a fauna, a flora e os microrganismos. Ok? Aliás, Biota também significa bioma, que é o conjunto formado pelo clima, vegetação, hidrografia e relvo de uma determinada região.

Além disso, o programa avalia possibilidades de exploração sustentável de plantas e animais, subsidia a formulação de políticas de conservação do que sobrou das florestas brasileiras.

A equipe do BIOTA-FAPESP é formada, por aproximadamente 1200 profissionais – 900 pesquisadores e estudantes de São Paulo, 150 colaboradores de outros estados brasileiros e 80 do exterior.

O trabalho desse pessoal em projetos de pesquisas já produziu a identificação de mais de 500 novas espécies de plantas e animais, a formação de 180 mestres e 60 doutores, o registro de informações sobre mais de 12 mil espécies e bancos de dados com o conteúdo de 35 coleções biológicas. Um esforço que pode ser traduzido na publicação de 700 artigos em periódicos científicos, 20 livros e dois atlas.

Pode ficar em pé para aplaudir! Se você conhecer bem BIOTA-FAPESP terá noção da importância desse programa para a preservação do meio ambiente.