A startup CUBi desenvolveu uma ferramenta que evita desperdícios de energia elétrica em empresas, podendo diminuir consideravelmente a conta de luz. A empresa foi criada por jovens brasileiros de 27 a 31 anos que se conheceram quando faziam mestrado profissional, como bolsistas do extinto programa Ciência Sem Fronteiras, no Instituto de Tecnologia Rochester, em Nova York. Lá, tiveram a oportunidade de realizar a gestão e auditoria energética de um edifício da universidade e, sem qualquer investimento de capital, geraram uma economia de 11% do consumo, o equivalente a US$ 1 milhão.

Interface da plataforma (dados meramente ilustrativos)

“Nosso serviço é dividido em duas partes, a de coleta de dados e a de tradução desses dados. A parte de coleta é feita por medidores de energia da própria CUBi, que podem ser instalados em todo tipo de quadros de energia de baixa tensão (a que encontramos dentro de casa, do comércio e de fábricas)”, explicou Rafael Turella, um dos sócios, em entrevista ao Ciência na Rua. “A identificação do que está sendo medido é basicamente física, por exemplo, se queremos avaliar um ar condicionado, basta identificarmos quais quadros de energia controlam aquele sistema. Para cada quadro ou sistema escolhido, um medidor é necessário. Os dados são então coletados no local, pré-processados pelos próprios medidores e transmitidos via Wi-Fi ou rede 3G para nosso servidor que está hospedado na nuvem. Quando os dados chegam no servidor, são identificados, processados e armazenados”.

A partir daí, os clientes podem acessar a plataforma para acompanhar os dados. Enquanto isso, ferramenta trabalha, “também submetemos os dados a uma série de rotinas de inteligência para que possamos extrair o máximo de valor possível. É através dessas rotinas que podemos avaliar e contabilizar para nossos clientes onde estão os maiores desperdícios (e oportunidades) dentro do seu processo produtivo”. A empresa faz questão de demonstrar o trabalho em termos financeiros, “se você não é da área e eu te disser que pode economizar 10 kWh ou 10.000 kWh, isso não quer dizer nada, mas se eu te disser que você pode economizar 15% de sua fatura ou R$ 10.000, daí sim faz muito mais sentido para todos”, conta Turella. “A maioria das empresas têm dados e mais dados arquivados e que nunca irão gerar valor. Aqui na empresa acreditamos que só depois de processarmos os dados e transformá-los em informações é que realmente estamos criando algo útil”.

Embora os medidores e a plataforma funcionem em residências (os sócios utilizaram suas próprias casas como exemplo), o público-alvo da CUBi são outras empresas, “Hoje atendemos indústrias de transformação de vários portes e alguns tipos diferentes de edificações comerciais. O mercado industrial é muito carente de soluções de inteligência nessa área, então temos muita estrada pela frente”, conclui.