por Timothy Revell, da NewScientist

É um robô que responde. Um painel preto de quase 2 metros de altura chamado Project Debater competiu contra humanos esta semana em seu primeiro debate público e teve desempenho admirável. O placar final foi 1×1, de acordo com a plateia, cujo foto foi de que a resposta do Project Debater foi pior, mas reuniu mais informações do que a resposta do debatedor humano.

O Project Debater, construído pela IBM, falou com uma confiante voz feminina, mas cometeu alguns deslizes não humanos. Por exemplo, durante uma sentença em que a IA (inteligência artificial) mencionou o astronauta Scott Kelly e então disse “voiceover” (voz sobreposta), sugerindo que estava pegando frases emprestadas de uma transcrição de vídeo. Além disso, as segundas orações de suas frases nem sempre derivavam naturalmente das primeiras.

O sistema tem um banco de várias centenas de milhões de artigos de onde pode obter suas respostas, cobrindo cerca de cem tópicos. Quando recebe uma pergunta no debate, demora alguns minutos para pesquisar entre esses artigos, construir argumentos e seu discurso. Ele citou fontes para algumas informações. Usa também reconhecimento de fala para poder analisar os argumentos de seus oponentes. Leva alguns minutos, mas o Project Debater tenta, então, responder diretamente os pontos levantados.

A IBM passou seis anos desenvolvendo a IA e espera que sua capacidade de identificar argumentos chave em um debate e criar argumentos lógicos ajude a fazer assistentes digitais mais sofisticados.

Clique aqui para ler o post original.