Obama cria no Havaí a maior reserva natural do planeta

Mariluce Moura | 29 de agosto de 2016
https://youtu.be/6ZG2Q-B6LvQ

Na última sexta feira, 27, por artes do presidente Barack Obama foi criada a maior reserva natural do planeta, em uma região ao nordeste do Havaí, “onde ele nasceu”, lembrou notícia publicada online na própria sexta pelo jornal El País.

A área, considerada sagrada pela população nativa do Havaí, tem a maior população de aves marinhas do mundo, com mais de 14 milhões de exemplares de 22 espécies. Um quarto das espécies de animais dessa região não existe em nenhuma outra parte do mundo. E ali recentemente foi descoberto o animal vivo mais longevo do planeta, um coral de 4.500 anos, além de seis montes submarinos onde vivem mais de 7.000 espécies marinhas.

O ponto central da decisão do presidente americano foi multiplicar por quatro a área do Monumento Nacional de Papahãnaumokuakea, criado em 2006 por George W. Bush, elevando-a para mais de 1,5 milhão de quilômetros quadrados de terra e mar (isso equivale a seis vezes a área do estado de São Paulo, por exemplo). O decreto presidencial determina também a proibição da pesca comercial na área protegida e a necessidade de autorização prévia para qualquer pesquisa científica que implique a retirada de algum exemplar da região.

Segundo Cristina F. Pereda, jornalista que assina o texto do El País, o anúncio da Casa Branca coincide com as comemorações dos 100 anos de criação dos parques nacionais dos Estados Unidos e reitera os esforços de Obama para reagir aos desafios propostos pelas mudanças climáticas. Em decisões anteriores ele já tinha garantido o estatuto de área protegida para mais de 2,2 quilômetros quadrados de terra e mar, o que é muito mais do que qualquer de seus antecessores já autorizara preservar.

Nesta semana o presidente participará em Honolulu do Congresso Mundial da Natureza, organizado pela União Internacional pela Conservação da Natureza. “A proteção do meio ambiente marinho diz respeito aos interesses de todos”, disse Obama, que demonstra uma compreensão rara do vínculo entre preservação da biodiversidade e medidas para amenizar as mudanças climáticas globais.



Deixe uma resposta