Depois de um ano com as luzes apagadas, o Museu da Energia de São Paulo abriu novamente as portas (as janelas e os portões) do precioso casarão onde está instalado. A reinauguração foi um presente pelo aniversário da capital paulista, em 25 de janeiro de 2018. O espaço é mantido pela Fundação Energia e Saneamento.

Divulgação/ Museu da Energia de S

O casarão histórico onde o museu está instalado

Tudo ali remete à história da iluminação, os diferentes usos da energia elétrica e a sustentabilidade possível para o setor energético. E nada ali é chato, árido ou sem graça. A viagem começa no tempo dos lampiões abastecidos a óleo de peixe (imagine o cheiro disso), no século 19, até a chegada da energia elétrica, uma revolução.

Misturando água e energia, mas sem risco de choque, o Espaço das Águas trata da relação da cidade de São Paulo com seus rios, riachos e córregos, lembra da construção dos reservatórios e chega até as torneiras dentro de casa.

Para esta reinauguração, o museu está apresentando a exposição temporária “Encontros improváveis de um lugar em comum”, com obras de Cadu, Guto Lacaz, Paulo Nenflídio e Regina Silveira. A mostra estará aberta ao público até 24 de junho de 2018.

Na área externa do museu, tem exposição de grafites e pinturas murais sempre com os temas energia e água.

Anote aí:

O museu fica aberto de terça a sábado, das 10 às 17 horas.

A entrada é gratuita.

O endereço é Alameda Cleveland, 601, Campos Elíseos, São Paulo.

Mais informações: www.museudaenergia.org.br