GIMPS

o número primo que bateu recorde de tamanho. Tem mais de 23 milhões de dígitos

Se você acha que tem dificuldades com a matemática, que não é bom em contas de cabeça com números grandes ou se arrepia para saber se um número é divisível por outro, seus problemas aumentaram.

Um engenheiro elétrico norte-americano chamado Jonathan Pace, descobriu o maior número primo conhecido até o momento. O tal número tem mais de 23 milhões de dígitos. Sim, um número com mais de 23 milhões de dígitos e que só pode ser dividido por ele mesmo, ou por 1.

Vamos lá, você lembra o que são números primos, certo? São aqueles que só podem ser divididos por si mesmos e pela unidade. O 2, o 3, o 13 e tantos outros têm essa característica.

Ao contrário de quem foge dos números, os matemáticos adoram os primos, porque qualquer número pode ser decomposto em primos: 28 nada mais é que 2 x 2 x 7.

Segundo o jornal El País, o número encontrado por Pace pertence a uma família especial de números primos, a dos primos de Mersenne. “Eles obedecem à forma 2n – 1. Por exemplo, 22 – 1 = 3, então 3 é o primeiro primo de Mersenne. No ano de 1588, o matemático italiano Pietro Cataldi mostrou que 217 – 1 = 131.071, o maior primo de Mersenne até então. Em todos esses séculos, a humanidade só encontrou 49 primos desta família. Aquele detectado agora por Pace é o quinquagésimo. É obtido com a fórmula 277.232.917 – 1 e tem 23.249.425 dígitos, quase um milhão a mais que o recorde anterior, obtido há dois anos”.

Ou seja, Pace fez um achado mesmo. Ele trabalha para a empresa de logística FedEx e é um dos voluntários do GIMPS, um projeto colaborativo para procurar números primos de Mersenne pela Internet, através de um programa gratuito desenvolvido pelos cientistas da computação George Woltman, Scott Kurowski e Aaron Blosser. “Pace manteve um computador pessoal com um processador Intel i5-6600 trabalhando durante seis dias sem parar para provar que 277.232.917 – 1 é um número primo”.

Além do reconhecimento, o descobridor vai receber uma recompensa de 3.000 dólares. Ah, agora você começou a ver vantagens nessa busca. Quer mais um estímulo? A Fundação Fronteiras Eletrônicas, que fica em San Francisco, nos Estados Unidos, oferece 150.000 dólares para a primeira pessoa que encontrar um número primo de 100 milhões de dígitos. Dada a largada!