Começa na terça-feira, 13 de março, a 16ª edição da Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace). Ciência na Rua adora essa Feira, porque ela apresenta projetos de ciências bolados por estudantes dos ensinos fundamental, médio e técnico de escolas públicas e particulares do Brasil todo.

Os 346 projetos expostos este ano foram selecionados entre mais de 2,2 mil propostas enviadas. A concorrência é cruel, mas a vontade de produzir engenhocas, traquitanas e soluções é maior ainda.

Febrace/2017

Um dos projetos de inovação tecnológica na Febrace de 2017

Segundo os organizadores, a Febrace é uma vitrine do potencial para jovens pesquisadores. Estimula a cultura científica, a inovação e o empreendedorismo e ainda desperta vocações.

Este ano, alguns trabalhos chamam a atenção. Estudantes do Sesi de Curitina, PR, inventaram um detector de carne estragada . É um biossensor que revela se a peça está em decomposição. Ele é feito com um filme que contém antocianinas, substâncias que indicam mudanças no pH da carne e, assim sinalizam o início do apodrecimento através da mudança na cor do filtro. E funciona mesmo se a carne tiver sido alterada quimicamente para disfarçar o estado de decomposição.

Outro projeto usa inteligência artificial para diagnosticar Alzheimer. Desenvolvido por alunos do Colégio e Faculdade Eniac, de Guarulhos (SP), o sistema analisa ressonâncias magnéticas e indica se o paciente tem ou não Alzheimer. Testes feitos com o equipamento têm margem de erro pequena, de apenas 9,21%.

Como fofice também é ciência, alunos da escola Presidente João Goulart, de João Pessoa (PB) investiram numa casinha de cachorro arejada, com água e comida disponível em intervalos regulares. A alimentação e a água são controladas à distância, por computador, pelos donos. A ventilação é por conta do animal. Entrou na casa, começa a ventilar.

Os autores dos melhores trabalhos ganham troféus, medalhas, bolsas e estágios. São cerca de 300 prêmios. Entre eles, uma das nove vagas para representar o Brasil na Feira Internacional de Ciências e Engenharia da Intel, que será realizada em maio, em Pittsburgh, Estados Unidos.

Junto com a Febrace, acontece Festival de Invenção e Criatividade (FIC). É a segunda edição desse evento, que oferece oficinas, cursos e palestras para difundir a prática de ciência e tecnologia nas aulas e na escola para estudantes, professores e gestores do ensino básico.

A mostra da Febrace 2018 acontece de 13 a 15 de março, das 14 às 19 horas, numa super tenda instalada no estacionamento da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli/USP). O endereço é Av. Prof. Luciano Gualberto, 3, travessa 3, Cidade Universitária. A entrada para a feira e para o festival é gratuita. E você pode se inscrever para participar ou buscar mais informações pelo site da Febrace e do FIC.