Divergente

Ciência na rua | 17 de março de 2016

Luiza Moura comenta o filme e o livro número 3 da série Divergente, destacando a insensatez que é a busca por seres humanos geneticamente “puros” e a divisão da sociedade humana em facções geneticamente determinadas. E ainda dá um recado sobre a necessidade do vínculo indissociável entre ciência e ética.



Deixe uma resposta