Uma equipe de pesquisadores liderada por Christopher S. Henshilwood, da Universidade de Bergen, na Noruega, descobriu um desenho abstrato de aproximadamente 73 mil anos em um fragmento de rocha retirado da caverna de Blombos, a cerca de 300 km da Cidade do Cabo, na África do Sul. O artigo foi publicado na Nature nesta semana.

Craig Foster/Universidade de Bergen/Nature

O sítio arqueológico vem sendo explorado desde 1991 e o fragmento de silcrete (material duro composto por sílica dissolvida) foi escavado em 2011, mas apenas agora, durante uma análise do material, os cientistas notaram o desenho, composto por nove linhas em um padrão hachurado, feito com um pedaço pontudo de minério com pigmento ocre – uma espécie de giz de cera da Idade da Pedra. Análises posteriores permitiram concluir que o desenho foi feito deliberadamente por mão humana e não por algum processo natural de erosão.

Francesco d'Errico/Universidade de Bergen/Nature

No mesmo local já foram encontradas conchas perfuradas, provavelmente usadas em colares, e gravações em rocha, indicando uma ampla atividade artística dos habitantes da época. No entanto, os desenhos mais antigos de que se tinha registro no planeta datam de aproximadamente 40 mil anos, muito posteriores, portanto, aos encontrados agora. A descoberta faz recuar cerca de 30 mil anos nossa concepção do ser humano como esse sujeito capaz de criar e abstrair.

As escavações na caverna continuam e podem revelar ainda mais sobre nossos primeiros artistas.