Os cientistas ainda estão investigando.

Mídia Bahia

Fragmento encontrado em Monte Gordo, Camaçari.

Na terça-feira, 21 de fevereiro, pela manhã as suspeitas sobre o que provocara o clarão visto no céu da Bahia na noite da segunda-feira, 20 de fevereiro se voltavam para um meteoro. Os fragmentos do corpo celeste, no entanto, ainda não haviam sido encontrados.

No fim do dia, apareceu uma outra hipótese. O fenômeno teria sido causado pela entrada na atmosfera terrestre de um objeto fabricado pelo homem.

Depois de um barulhão e um forte impacto no chão, moradores de um distrito de Camaçari, a cerca de 50km de Salvador, encontraram uma peça aparentemente feita de metal com marcas de rosca. Ela tem 20cm X 21cm, pesa em torno de 3kg e parece estar queimada. O fragmento foi encaminhado para o Instituto de Geociências da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e será avaliados pelos pesquisadores.

No entanto, a coordenadora do Grupo de Petrologia Aplicada à pesquisa mineral, professora Débora Rios informou ao Jornal Nacional, da TV Globo, que a peça encontrada “Não é meteorito. Vamos analisar e ver se foi ela mesma que chegou com o clarão que as pessoas viram, está relacionado a lixo espacial”, afirmou.

 Agora à tarde, outra novidade.
O relatório da Bramon, a Rede Brasileira de Monitoramento de Meteoros indica uma reviravolta. Os cientistas descartam a possibilidade de lixo espacial ter provocado o clarão e consideram que o meteoro, de bom tamanho, explodiu sobre o mar a cerca de 92km da costa. As análises sobre o que é o material encontrado em Montegordo, distrito de Camaçari, continuam em andamento.
Ciência na rua segue de olho. Veja aqui a reportagem feita pelo Jornal Nacional na noite de terça-feira, 21 de fevereiro.