SashaW/ flickr

Café antes, coração sobrecarregado depois

Conhecida como estimulante, a cafeína pode não ser uma boa aliada dos exercícios físicos. Se consumida antes de uma corrida moderada, por exemplo, a substância retarda a recuperação do corpo depois da atividade, o que sobrecarrega o coração.

Tudo isso está bem descrito na dissertação de mestrado em Fisioterapia da pesquisadora Luana Almeida Gonzaga, aluna da Universidade Estadual Paulista, UNESP de Presidente Prudente. Luana reuniu 32 homens fisicamente ativos com idades variando de 20 a 27 anos. Dividiu fez os testes em dois dias. No primeiro, deu cápsulas com 300 mg de cafeína, o equivalente a 2 ou 3 xícaras com 150 mL de café, e, no segundo, ofereceu cápsulas com amido (placebo). Os participantes não sabiam quando era cafeína e quando era placebo.

Depois, botou os voluntários para correr 30 minutos com esforço moderado, ou seja com 60% do consumo máximo de oxigênio. Depois do exercício, a equipe de pesquisadores mediu a atividade do coração através da variabilidade da frequência cardíaca.

Com os dados em mãos, Luana e os colegas notaram que tomar cafeína antes do exercício desacelerou a recuperação do organismo após a realização da atividade física, o que deixa o coração sobrecarregado. “Esses resultados indicam que a cafeína em homens fisicamente ativos pode aumentar as chances de complicações cardiovasculares após a realização de exercício físico”, explica o fisioterapeuta Vitor Valenti, professor ‎da Faculdade de de Filosofia e Ciências da UNESP em Marília e orientador do trabalho.

As conclusões da pesquisa sugerem “muita cautela, inclusive em atletas e principalmente pessoas sedentárias, para ingerir café antes de qualquer exercício, tendo em vista a sobrecarga que se aplica ao coração”, completa Valenti.

O estudo contou ainda com a participação de da pesquisadora Rayana Loch Gomes,  do professor Luiz Carlos Marques Vanderlei, que co-orientou a pesquisa, todos ligados à pós-graduação da Unesp, em Presidente Prudente, e  foi publicado em outubro deste ano na revista Scientific Reports  do grupo Nature. Para acessar o artigo na íntegra, clique aqui.

O grupo de pesquisadores agora vai testar se os efeitos da cafeína sobre o coração durante exercício físico são mais intensos em pessoas com menores níveis de aptidão física.