Andrei Poliakov / IIMK-RAN

A cabeça do boneco mais antigo (e mais bem guardado) do mundo

Exausta, depois de pisar em pecinhas coloridas e espalhadas pela casa, a mãe dá um berro de responsa: “Guarde imediatamente esses brinquedos. Agora, fulano!”. A criança se assusta ~ para que tanta irritação afinal? ~ e, meio emburrada, promete a si mesmo guardar tão bem, mas tão bem guardado que ninguém mais vai incomodá-la. Depois, volta a brincar tranquila.

Andrei Poliakov / IIMK-RAN

A cabeça do animal mitológico. Seria um dragão?

Corta, avança 4,5 mil anos na História e, finalmente, um grupo de cientistas russos encontra os tais brinquedos muito bem escondidos. Um boneco feito de pedra sabão e uma cabeça de animal, um cavalo, um dragão ou algo parecido, entalhado num pedaço de chifre.

Ok, não foi bem assim que aconteceu, mas – de fato – são os brinquedos mais antigos do mundo. Uma equipe de arqueólogos da Academia Russa de Ciências (IIMK-RAN) descobriu esses objetos – os mais antigos com essa finalidade já registrados –, no túmulo de uma criança que viveu na Idade do Bronze. O menino ou menina pertencia à cultura Okunev, um grupo que habitava o sul da Sibéria, durante a pré-história.

Há alguns anos, os cientistas já haviam encontrados outros brinquedos ali na região, mas esses agora são os mais antigos, segundo o arqueólogo Andrei Poliakov, que comanda as pesquisas. Segundo ele, em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo de 03 de janeiro, os bonecos serão integrados à coleção de mais de 500 objetos já encontrados na região do povo Okunev, que formam a “mais antiga coleção de brinquedos do mundo”.