Novo planeta anão é encontrado nas profundezas geladas do espaço

Pamela Gouveia | 15 de julho de 2016

Um novo planeta com o tamanho da Grã-Bretanha foi encontrado rolando pelo espaço nos alcances mais distantes do sistema solar, nas profundezas geladas além da órbita de Netuno. Com o nome provisório de 2015 RR245, o pequeno foi localizado pelo telescópio Canadá-França-Havaí, em Mauna Kea, no Havaí, dentro do projeto de pesquisa Outer Solar System Origins Survey (Ossos) e foi oficialmente anunciado na última segunda-feira. Com cerca de 700 km de diâmetro, apenas 5% da largura da Terra, possui uma das órbitas mais longas para um planeta anão: estima-se que leve 700 anos para viajar em torno do Sol.

Os astrônomos notaram o pequeno planeta pela primeira vez quando ele apareceu como um ponto brilhante movendo-se lentamente através de uma sequência de imagens tiradas em setembro de 2015. “Foi realmente notável ver quão brilhante este objeto era”, disse Michele Bannister , astrônoma da equipe da Universidade de Victoria , no Canadá. “É muito mais brilhante do que os objetos que normalmente encontramos.”

Projeto OSSOS/DivulgaçãoRepresentação da órbita do RR245 (linha amarela), que seria um dos maiores do Cinturão de Kuiper. Objetos tão brilhantes ou mais brilhantes aparecem com seus nomes

Representação da órbita do RR245 (linha amarela), que seria um dos maiores do Cinturão de Kuiper. Objetos tão brilhantes ou mais brilhantes aparecem com seus nomes

Segundo a astrônoma, os mundos gelados além de Netuno podem mostrar como os planetas gigantes se formaram e depois se moveram para longe do Sol, graças a eles também seria possível construir a história do nosso Sistema Solar. “Quase todos esses mundos gelados são pequenos e pouco nítidos; é realmente empolgante encontrar um grande e brilhante o suficiente para que possamos estudá-lo em detalhe”, disse Michele.
Os pesquisadores acreditam, com base na composição de outros planetas anões, que 2015 RR245 pode ter uma paisagem exótica coberta com água congelada e nitrogênio, talvez algum monóxido de carbono. Planetas anões e outros organismos além de Netuno se escondem nas regiões mais frias do sistema solar. Ao contrário dos planetas interiores que são mais aquecidas pelo sol, os planetas anões distantes são frios, cerca de -220 Celsius, isso para preservar ingredientes químicos que estavam presentes quando eles se formaram.

Planetas não adequados

A União Astronômica Internacional (IAU) criou o termo “planeta anão” em 2006 para descrever corpos celestes que não seriam planetas adequados. Segundo as pesquisas, há cerca de 200 planetas anões no Cinturão de Kuiper, a enorme massa de pedaços de rocha e gelo que orbitam além de Netuno.

OSSOS TeamDescoberta do 2015 RR245

Descoberta do 2015 RR245

Um planeta anão deve circular o sol e ter massa suficiente para que a sua própria gravidade supere as forças de corpo rígido, de maneira que esteja em equilíbrio hidrostático e tenha uma forma quase esférica. Cinco planetas anões são reconhecidos pela IAU: Ceres, Plutão, Haumea, Makemake e Eris, mas há centenas de corpos semelhantes a 2015 RR245 nas franjas do sistema solar além da órbita de Netuno.

“Eles são a coisa mais próxima de uma cápsula do tempo que nos transporta para o nascimento do sistema solar. Pode-se fazer uma analogia com fósseis, que nos dizem sobre criaturas há muito tempo”, disse Pedro Lacerda do Centro de Pesquisa Astrofísica na Universidade de Belfast da Rainha. “2015 RR245 é muito menor do que Plutão”.

O nome 2015 RR245 será substituído após os cientistas observarem a órbita do planeta anão por vários anos e conseguirem chegar numa definição da sua trajetória. O novo nome será então votado por uma comissão da UAI.

 



Deixe uma resposta