Considerado o maior deserto quente do mundo, o Saara cresceu cerca de 10% no último século e hoje ocupa uma área de quase 7,4 milhões de quilômetros quadrados (km2), um pouco menor que a do Brasil.

Pesquisadores da Universidade de Maryland, nos Estados Unidos, coordenados pelo geofísico Sumant Nigam e sua aluna de pós-graduação Natalie Thomas analisaram dados de pluviosidade de mais de um século em toda a África e concluíram que o deserto cresceu 7 mil km2 por ano de 1920 a 2013. O artigo descrevendo a descoberta saiu no Journal of Climate, de 29 de março de 2018.

Deve ser por isso que Dona Claudine anda se queixando de olho seco, pele seca, cabelo seco e… bom, ouça aqui no podcast Ciência no Elevador.