Nenhuma outra imagem vai ser tão bonita e impactante quanto essa que o fotógrafo Alexander Nemenov (Pool/Reuters) produziu ao clicar a chegada da nave espacial Soyuz, no deserto do Cazaquistão, no fim da noite de terça-feira, 27, em horário do Brasil.

Gaste um segundinho para apreciar. É a beleza da chegada e tudo que ela representa. Tecnologia para levar, ciência lá em cima para entender o universo, e tecnologia para regressar.

Alexander Nemenov/ Pool/ Reuters

Soyus, gloriosa, chega para apoteose no Casaquistão

Alexander Nemenov/ Pool/ Reuters

Os cosmonautas desembarcam festejando

A nave trouxe de volta à Terra três astronautas e o Centro de Controle de Voos Espaciais (CCVE) da Rússia garantiu que todos estão bem e aproveitaram a viagem de retorno. O cosmonauta russo Aleksandr Misurkin e os astronautas americanos da NASA Mark Vande Hei e Joseph Acaba saíram da Estação Espacial Internacional, viajaram cerca de 4h para retornar e desembarcaram na cidade de nome impronunciável Dzhezkazgan, no Cazaquistão, exatamente na hora programado, 8h40, no horário local.

Os rapazes ficaram 306, 168 e 334 dias respectivamente no espaço no espaço e deixaram por lá os colegas Anton Shkaplerov, russo, Scott Tingle, norte-americano, e Norishige Kanai, japonês.

A Estação Internacional é um projeto de mais de US$ 150 bilhões e tocado por 16 nações. Atualmente tem 14 módulos permanentes e orbita a uma velocidade de mais de 27 mil quilômetros por hora a uma distância de 400 quilômetros da Terra.